Adrien Pichoud Economist
Maurice Harari Multi Asset Portfolio Manager
Wanda Mottu Analyst
01

Crescimento global a todo vapor, com o mundo emergente voltando a acelerar

A economia global continua a passar por 2017 a todo vapor, à medida que cada mês traz mais evidências do crescimento econômico positivo em todo o mundo. Todas as principais economias desenvolvidas estão crescendo acima do seu potencial subjacente e mantendo um ritmo de crescimento acima da tendência dos últimos 50 anos.

Em paralelo, as principais economias emergentes estão voltando aos trilhos do crescimento positivo depois de desacelerações muitas vezes acentuadas ou de recessões nos últimos dois anos. Elas estão, assim, recuperando a liderança de crescimento que tiveram nos últimos 30 anos, mas que tinha estreitado de modo espetacular recentemente.

Olhando à frente, o potencial para mais melhorias nas economias avançadas parece limitado por motivos estruturais, tais como demografia e produtividade, e o fardo do passado e do alto endividamento. Contudo, a dinâmica adicional poderia vir das economias emergentes, onde ventos contrários estão também em desenvolvimento, mas ainda não estão tão pronunciados.

Os mercados emergentes poderiam agregar mais dinâmica positiva ao crescimento global

Fontes: FMI, Factset, SYZ Asset Management Dados em: sexta-feira, 30 de junho de 2017

Os mercados emergentes poderiam agregar mais dinâmica positiva ao crescimento global

Crescimento sólido e melhorado nos dois lados do Atlântico

Fontes: Markit, Factset, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

Crescimento sólido e melhorado nos dois lados do Atlântico
02

Os EUA e a zona do euro anunciaram um crescimento forte no 3º trimestre

O crescimento econômico dos EUA continuou forte durante o verão e, de acordo com a divulgação preliminar dos dados do PIB do 3º trimestre, os dois maiores furacões de agosto tiveram muito pouco impacto no nível de atividade econômica pelo país afora. O PIB subiu +3,0% em termos anualizados, com contribuições positivas do consumo doméstico, investimento em empresas e inventários externos de comércio e negócios.

Nesse ínterim, a zona do euro não ficou para trás, com outro trimestre de crescimento sólido do PIB (+2,4% em termos anualizados), o que confirma a força e o dinamismo da contínua expansão econômica na Europa.

De fato, ao analisar as taxas de crescimento de 12 meses, a zona do euro cresceu em um ritmo mais rápido do que os EUA nos últimos dois anos, com o PIB europeu atingindo +2,5% no acumulado anual no 3º trimestre de 2017, enquanto o PIB dos EUA subiu "somente" 2,3% no mesmo período. Este é o mais rápido ritmo de expansão em sete anos para o primeiro caso, enquanto o último está de volta a uma alta de dois anos após a rápida correção "liderada por energia e dólar forte". Bom dinamismo econômico nos dois lados do Atlântico!

03

A Alemanha está se beneficiando do forte crescimento global e europeu

O boom econômico alemão ainda está em capacidade total. O setor manufatureiro está anunciando crescimento muito forte, com o apoio do crescimento global dinâmico e da forte demanda das economias europeias vizinhas. O índice IFO de confiança empresarial atingiu uma alta recorde em outubro e a confiança dos consumidores alcançou uma nova alta em setembro. A Alemanha, mais do que nunca, é a força motriz da economia em expansão na zona do euro.

A combinação de incertezas políticas solucionadas, com a renovação do mandato de Merkel pela quarta vez e um presidente pró-europeu na França certamente ajuda a manter as expectativas. A política monetária do BCE, muito adaptável para a conjuntura econômica alemã, também contribui com a atividade e o sentimento. E a menor taxa de desemprego depois da reunificação reflete o crescente dinamismo e estimula o consumo doméstico.

Embora as tendências demográficas sejam bastante adversas, fortes ganhos de produtividade ajudam a elevar a taxa de crescimento potencial da Alemanha em cerca de 1,1%, acima da média da zona do euro. Sua taxa de expansão atual é, portanto, duas vezes seu potencial e, apesar de picos nos índices de sentimento, é difícil imaginar o crescimento do PIB acelerando novamente considerando uma taxa tão forte. Ainda assim, o contexto reforça a confiança na continuidade desse ambiente econômico positivo no próximo ano.

A forte expansão da Alemanha está definida para se estender a 2018

Fontes: Markit, Factset, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

A forte expansão da Alemanha está definida para se estender a 2018

O BCE continua a aumentar seu balanço, somente a um ritmo menor

Fontes: Markit, Factset, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

O BCE continua a aumentar seu balanço, somente a um ritmo menor
04

O BCE anuncia uma "redução moderada" do seu programa de afrouxamento quantitativo

Em outubro, o BCE anunciou a redução do ritmo de compra de ativos a partir de janeiro de 2018. Uma desaceleração tem sido amplamente esperada no contexto de forte crescimento econômico e tendências inflacionárias encorajadoras, onde as medidas ultra-adaptáveis criadas para afastar a inflação não são mais necessárias.

Contudo, o passo em direção a políticas monetárias "normais" se mostrou menor do que muitos esperavam. Decididamente, o BCE reduzirá à metade suas compras mensais (de EUR 60 bilhões para EUR 30 bilhões) e conduzirá o programa pelo menos até o fim de setembro de 2018.

Esse prazo implica que o BCE praticamente descarta qualquer aumento da taxa de juros antes de 2019, no mínimo, pois é dificilmente concebível ver um aumento da taxa nos meses imediatamente posteriores ao fim do afrouxamento quantitativo. Desde que o afrouxamento quantitativo seja completamente interrompido em setembro de 2018 - em outras palavras, enquanto o Fed avança para a normalização gradual das taxas de curto prazo e seu tamanho de balanço -, o BCE continuará por um tempo a inflar seu balanço e a manter as taxas de curto prazo em zero.

05

Uma conjuntura econômica positiva ajuda Abe a conseguir a maioria

Shinzo Abe foi mais bem-sucedido que Theresa May na convocação de eleições antecipadas para fortalecer e prolongar seu mandato. Seu partido ganhou uma maioria de dois terços no Parlamento, confirmando o apoio às políticas Abenomics e dando a ele uma oportunidade de rever a constituição do país.

Uma votação tão ampla em favor da continuidade não é surpreendente ao analisar a situação econômica do arquipélago. O Japão tem anunciado um crescimento acima do potencial nos últimos dois anos, a taxa de desemprego está no menor nível em 23 anos, a confiança do consumidor está de volta à alta de uma década, a produção industrial melhorou, e mesmo as vendas no varejo demonstraram recentemente sinais de aceleração, e a última atualização trimestral das pesquisas Tankan mostraram a atividade no seu maior nível em duas décadas entre as pequenas e grandes empresas.

Não há nuvens no horizonte, portanto (exceto talvez pela desagradável proximidade com a belicosa Coreia do Norte), especialmente devido ao compromisso do Banco do Japão em manter a política monetária ultra-adaptável em um momento em que os maiores bancos centrais estão gradualmente se movendo para a normalização. Isso de fato explica a recuperação de 12% do índice Nikkei nos últimos dois meses (com somente dois dias negativos entre 21).

Todos os indicadores econômicos japoneses estão verdes, indicando uma expansão sólida

Fontes: Markit, Factset, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

Todos os indicadores econômicos japoneses estão verdes, indicando uma expansão sólida

A maioria dos indicadores de atividade tem se estabilizado nos últimos dois anos

Fontes: Factset, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

A maioria dos indicadores de atividade tem se estabilizado nos últimos dois anos
06

Xi Jinping abre o Congresso do Partido em meio ao crescimento econômico estabilizado

Em 18 de outubro, Xi Jinping abriu o 19º Congresso do Partido Comunista com um discurso anunciando uma nova era para a China: um crescimento esperado no cenário global, continuidade no nível político doméstico e mudanças econômicas graduais (especialmente, menores aumentos dos preços dos imóveis e aumento de empréstimos).

No dia seguinte, os números do PIB do 3º trimestre confirmaram a estabilização do crescimento na segunda maior economia do mundo. De fato, o crescimento do PIB tem se mantido notavelmente estável abaixo de 7% nos últimos dois anos, depois de uma desaceleração ininterrupta de cinco anos. Essa estabilização é visível na maioria dos indicadores, tais como produção industrial, vendas no varejo e até mesmo crescimento do crédito, ainda alto em relação ao PIB nominal, mas não acelerando.

Como conter bolhas de crédito e imobiliárias é um objetivo crucial das autoridades, a desaceleração de investimentos em ativos fixos reflete a eficácia de medidas macro cuidadosas direcionadas e desenvolvidas para gradualmente desaquecer o mercado imobiliário. Embora a questão do endividamento elevado e crescente continue na China, a estabilização do crescimento e a sequência de abertura política moderam os riscos macroeconômicos de curto prazo.

07

Ações - Os mercados de ações dos EUA estão atingindo novos recordes de alta

Até agora neste ano, as ações dos EUA conforme representado pelo S&&P 500 tiveram 10 meses consecutivos de retornos totais positivos, continuando a tendência positiva iniciada depois da eleição de Donald Trump há quase um ano.

Em outubro, o índice subiu +2,2% levando o desempenho do ano até a data a +15,0%. Os melhores setores nos EUA contribuindo com essa recuperação são tecnologia da informação, materiais e industriais, enquanto os serviços de energia e telecomunicação são os únicos a ainda se manter no território negativo (-4,0% e -3,2% respectivamente). Além disso, o S&&P 500 atingiu novos recordes de alta mais de cinquenta vezes em 2017.

De fato, ao longo dos últimos dezoito meses, o cenário econômico favorável proporcionou poderosos ventos para os mercados de ações. Contudo, esses ventos poderiam mudar, o que bem poderia significar que um preço justo de liquidação para os mercados de ações seria um pouco menor do que os níveis atuais.

 

Evolução do acumulado anual e novos recordes de alta do índice S&P 500

Fontes: Bloomberg, SYZ Asset Management. Dados em: 7 de novembro de 2017

Evolução do acumulado anual e novos recordes de alta do índice S&P 500

Capitalização de mercado mundial da bolsa da Bloomberg (USD, milhões)

Fontes: Bloomberg, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

Capitalização de mercado mundial da bolsa da Bloomberg (USD, milhões)
08

Ações - A capitalização de mercado mundial da bolsa atingiu um pico de mais de USD 90 trilhões

A capitalização de mercado mundial da bolsa da Bloomberg é calculada com base em todas as ações (títulos primários excluindo ETFs e ADRs) em circulação negociadas ativamente nas bolsas do país. Do seu menor nível alcançado em mais de dez anos, no começo de 2009 (USD 26.000.000.000.000), o índice agora atingiu um pico acima de USD 90.000.000.000.000 (isto é, USD 90 trilhões). Para contextualizar esse número, ele equivale a 120% do PIB mundial.

Desde a grande crise financeira de 2008, o índice vem crescendo todos os anos, exceto em 2011 e 2015. Mais recentemente, o ritmo de crescimento tem acelerado a uma taxa de crescimento de +36% em 2017 (com data de fim de outubro) em comparação à taxa de crescimento anualizado de menos de +10% para o período de 2009 a 2016.

Se olharmos mais atentamente para setores diferentes este ano (em uma base global), a tecnologia da informação se destaca como o setor de melhor desempenho no acumulado anual (+37,3%) e tem demonstrado desempenho superior ao segundo e terceiro melhores setores por respectivamente +20,8% (materiais) e +21,4% ( industriais).

09

Ações - O investimento em fatores pode ser recompensador

Para o observador externo, o S&&P 500 não mostra em toda a extensão o que está acontecendo com setores e fatores. Seu desempenho uniforme neste ano não é uma boa reflexão de alguns dos problemas que o investimento em fator e setor enfrentou em 2017.

O mês de outubro foi especialmente recompensador para investidores, e estratégias que posicionaram a dinâmica de longo prazo como estilo geraram um índice sólido de +4,9%, embora este estilo não estivesse apresentando um bom desempenho até agora neste ano. Embora os investidores de índice tenham se beneficiado de um ano de 2017 muito sólido, investidores de estilo sofreram com as rotações de estoque e setor e escolher a estratégia vencedora deste ano não foi fácil.

Continuando, uma vez que parece que os bancos centrais em todo o mundo estão coordenando o fim das políticas de afrouxamento, os investidores podem esperar mais volatilidade, o que criará uma conjuntura mais saudável para investimentos de estilo.

Desempenho superior da dinâmica

Fontes: Bloomberg, SYZ Asset Management. Dados em: 31 de outubro de 2017

Desempenho superior da dinâmica

Empolgação da mãe das criptomoedas

Fontes: Bloomberg, SYZ Asset Management. Dados em: terça-feira, 31 de outubro de 2017

Empolgação da mãe das criptomoedas
10

Ativos digitais - O bitcoin é irrefreável!

O S&&P 500 não é o único ativo que está atingindo novas altas todas as semanas. O bitcoin, a infame criptomoeda ou criptoativo, está sendo negociado a novas altas quase todos os dias. No começo do ano, estava em USD 952 e fechou o mês de outubro em USD 6.367, com um retorno mensal de USD 52,6%.

Diversos fatores poderiam explicar esse aumento incrível, contudo, mais recentemente, o fato de que a CBOE anunciou que listará mercados futuros em sua bolsa provavelmente ajudou a impulsionar o bitcoin. Mercados futuros são facilmente negociados hoje em dia a custos extremamente baixos em diversas plataformas de operações e são muito suscetíveis a provocar um grande aumento de volume. A mídia, não somente a especializada, mas também a grande mídia, está repassando as histórias do bitcoin, dando mais força ao cenário autorrealizável deste novo ativo. Contudo, os investidores devem permanecer cautelosos, pois o bitcoin é, por enquanto, um ativo altamente volátil.