Uma edição histórica para a SYZ Translémanique en Solitaire

Segunda feira, 09/04/2017

Disputada neste ano em um percurso inédito, com uma boia em Villeneuve, a SYZ Translémanique en Solitaire transcorreu em meio a condições duras. François Thorens venceu a regata em tempo real à frente do TBS, enquanto Frederic Vandenberghe foi o vencedor no tempo compensado à frente do Lovitana. A Junior Translem', que foi realizada paralelamente, reuniu 29 corajosos!

Segunda feira 04/09/2017 - 09:16

A SYZ Translémanique en Solitaire 2017, 44ª edição deste grande clássico do lago Léman organizado pela Sociedade Náutica de Genebra, ficará na memória de todos os competidores. Pela primeira vez, a regata foi disputada em um percurso que englobava uma volta completa do lago Léman, com uma marca de meio percurso posicionada na foz do Vieux Rhône. Ela foi realizada em meio a condições duras, com um vento constante, mas muito irregular, o que resultou em uma regata rápida.

O vencedor em tempo real, François Thorens, a bordo do Psaros 40 TBS, liderou a frota de 107 veleiros (97 classificados e 10 abandonos) durante a maior parte da jornada. Ele venceu em 12 horas, 13 minutos e 20 segundos à frente do Oyster Funds (Nicolas Groux) e do Fujin (Alain Gautier).

Feliz com a vitória, Thorens, nascido em Tour de Peilz, explicou ter particularmente administrado bem a tática "do seu jeito", no Haut-lac. "Estou muito contente com essa vitória", ele declarou. "Comprei o veleiro há dois anos e esta é a primeira grande vitória que conquisto com ele." Na frente durante a maior parte da regata, Thorens, que disputou sua primeira Translémanique en Solitaire, venceu com uma vantagem confortável. O Oyster Funds (Nicolas Groux) terminou 33 minutos mais tarde, enquanto o Fujin (Alain Gautier) registrou uma diferença de 36 minutos.

Historicamente, a SYZ Translémanique en Solitaire coroa o vencedor da classificação em tempo compensado, que é a relação entre as características do veleiro e seu tempo de regata. O grande vencedor dessa categoria é também um dos menores veleiros da competição: o Lovitana, de Frederic Vandenberghe, que terminou em 16:09:16, um minuto antes do vencedor de 2015, Alain Hostettler (Nicolas). Um Surprise subiu ao terceiro lugar do pódio: Renaud Stitelmann (Luna). "Foi uma regata incrível", declarou Vandenberghe ao fim da corrida! "Uma edição magnífica, apesar das condições difíceis. Sobretudo para meu pequeno barco! Fiz muito rapel durante a corrida, até senti meus músculos abdominais hoje! Esse percurso longo não me assustou nada, graças à organização, a Jean-Luc Lévêque e a todas as lanchas, fomos muito bem assistidos."

A categoria rainha, a dos Surprise, com 31 inscritos, foi conquistada por um velho lobo do lago, Renaud Stitelmann, à frente do Luna. Ele deixou para trás Laurent Alter (Cust 4) e René Mermod (Waventin), também ele acostumado a ocupar lugares de honra! Gilles Morelle venceu na categoria dos Grand Surprise, à frente do Sibuya, enquanto o Toucan l'Egger (Christophe Magnin) foi o primeiro Toucan a cruzar a linha de chegada.

Disputada paralelamente com a SYZ Translémanique en Solitaire, a Junior Translem', aberta aos jovens de 8 a 15 anos de idade navegando a bordo de Optimists, reuniu 29 jovens em um percurso de longa distância entre Genebra e Versoix, com uma noite no abrigo de proteção civil em Versoix e atividades específicas para os jovens. A Junior Translem' é um sucesso crescente ao longo dos anos!

Satisfeito com o desenrolar do fim de semana, Jean-Luc Lévêque, presidente do comitê organizador, queria, acima de tudo, saudar as qualidades dos competidores envolvidos nesse grande percurso. "Como havia vento quase o tempo todo, essa regata se mostrou menos cansativa em termos mentais do que as outras edições. Contudo, foi muito desafiadora em termos físicos. Do ponto de vista organizacional, tudo correu bem e o resultado global é excelente."

Presidente do Círculo da Vela da SNG, Yann Petremand passou boa parte da noite no clube para recepcionar os competidores. Ele destaca o espírito positivo que reinava na noite anterior na chegada dos participantes. "Quando decidimos adotar um novo percurso, achávamos que a participação seria afetada e que o projeto não seria uma unanimidade. Entretanto, ontem à noite, só havia sorrisos. Todos adoraram o percurso! A colaboração com o Círculo da Vela de Villeneuve também foi positiva e eu gostaria de agradecê-los."